Vem aí: A Cena por Elas - Mulheres do Hip Hop


Série em homenagem às mulheres que seguem na luta por respeito e representatividade dentro do movimento


Antes de qualquer coisa é necessário reforçar o cliché de que as mulheres merecem reconhecimento em qualquer época do ano. Mesmo assim, o dia 8 de Março remete a um marco histórico de lutas feministas que, naquele momento, reivindicaram - para não dizer que ‘tomaram de assalto’ - o direito ao voto e a inserção ao mercado de trabalho. O mês de março, portanto, traz lembranças de uma trajetória de luta e, de quebra, uma pitada de inspiração e esperança em seguir na saga para usufruir dos direitos e para ocupar os espaços.

Por falar em espaços, o Rap071 preparou um conteúdo especial sobre o “pé na porta” que há anos as mulheres vêm dando na cena do Hip Hop. Na próxima quarta-feira (15), será lançada, no canal oficial do site no YouTube, uma série dividida em quatro episódios, intitulada de “A Cena Por Elas – Mulheres do Hip Hop”.

Felizmente, não foi difícil encontrar grandes mulheres soteropolitanas de destaque na cena para contar sobre suas trajetórias no movimento, sobre como é ser mulher numa sociedade machista e dificuldades encontradas no caminho.

Para representar os elementos básicos do Hip Hop, convidamos a Mc Áurea Maria, a BGirl Michelle Arcanjo, a Grafiteira Sista Katia e a Dj Nai Sena. A crew tá formada! Conheça um pouco das minas:


Aurea Maria, Mc, 19 anos, moradora de Cajazeiras. Está no rap a mais ou menos três anos, quando foi convidada por Mirapotira para rimar em um evento. Atualmente está trabalhando no seu primeiro EP intitulado “ROXOGG”. Áurea integra o Coletivo NaCalada, onde participa de cyphers.

ASSISTA À ENTREVISTA COM ÁUREA MARIA AQUI.


Sista Katia, mulher, feminista, gorda, vegana, grafiteira há mais de 10 anos. Seu trabalho traz questões como padrão de beleza e representatividade da mulher gorda e preta. Inserida há anos no movimento como grafiteira e produtora, Sista ganhou destaque nos últimos anos pelos seus trabalhos que têm, inevitavelmente, o feminismo como mote. Atualmente foi convidada, junto a artista plástica Nila Carneiro para produzir um grafite no Hospital da Mulher, recém-inaugurado na cidade de Salvador. Além de ter produzido uma obra imensa no muro da nova Concha Acústica.

ASSISTA À ENTREVISTA COM SISTA KÁTIA AQUI.


Nai Sena, mulher, preta e Dj. Iniciou sua carreira musical no movimento Hip Hop e logo ganhou destaque na cena com os seus sets dançantes, marcados pela Black Music. Participou de grandes celebrações do movimento como 2ª e 3ª Semana Baiana de Hip Hop, 3º Round – Circuito de Rima Improvisada, Rinha dos MC’s – Edição Salvador, Hip Hop in Conkas (Vitória da Conquista), Urban Bahia e turnê Cores e Valores – Racionais MC’s.

ASSISTA À ENTREVISTA COM NAI SENA AQUI.


• A BGirl Michelle Arcanjo, graduante de danças urbanas na (UFBA), atua desde 2010 como dançaria (BGirl), participou de diversos cursos com profissionais de dança reconhecidos nacional e internacionalmente, bem como o cenário de dança de rua local. Possui experiência como arte educadora, coreógrafa e produtora cultural.

ASSISTA À ENTREVISTA COM MICHELLE ARCANJO AQUI.

*Por Hilary Marcele e Aline Valadares – Colaboradoras do site Rap071

#MulheresnoHipHop #HipHop

© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados