Rapper, a profissão do futuro? Aprenda a se planejar para uma carreira no Hip-Hop

Atualizado: Jul 3

'O rap me deu vida quando eu nem tinha vontade de viver' Foto: Beatriz Almeida

Visão tá cara, então aconselho que aproveite quem tá passando de graça! Sendo assim, parafraseando Udi Santos, abro os caminhos desse projeto que tem o dedo de todas as mulheres que me constroem, dando e recebendo visão, para falar sobre um assunto ainda não tão debatido: planejamento e gestão de carreira para o Rap. Mas porquê falar sobre isso?


Vou te contar o que me levou ao aprendizado, quase obsessivo, sobre planejamento e gestão de carreira. Desde o meu primeiro contato com o movimento Hip-Hop percebi que a dinâmica era a do improviso para tudo, não só para rimas de batalha e freestyles. A cultura do bolo é generalizada, e sei que muito disso tem haver com a forma que fomos educados e como o Hip Hop nasce e consegue sobreviver.


Admiro a forma como os quatro elementos conseguiram sobreviver e se reinventar desde 1980, quando o Hip-Hop chega ao Brasil, porém a rua traz o ônus de um formato que não documenta histórias. A cultura é passada pela oralidade, uma valiosa prática ancestral, mas que impede o aprendizado com os erros dos que vieram antes e o ato de redirecionar rotas na atualidade. Percebi que dentro do Hip-Hop estamos sempre começando do zero. E esse texto não é sobre crítica, é sobre métodos, que podem ser usados individualmente ou de forma coletiva.


A dificuldade de organização e de fazer relatórios de processos dos avanços e dificuldades em cada etapa é uma realidade para as artes no geral, sobretudo para os movimentos que vem da rua. Por isso, pretendo auxiliar artistas com algumas técnicas e encaminhamentos que aprendi, desenvolvi e adaptei durante os anos.


Começar pelo começo, arrumando a empresa


Pra inicio de conversa, vou apresentar a sua carreira com uma perspectiva de negócio. Vamos lá! Esse é o primeiro dia do seu novo emprego como gerente da sua própria carreira e ele começa pelo começo, o diagnóstico para o plano de ação. Faremos juntos o seu planejamento de carreira até o final de 2020:

  1. Vamos pensar sobre o corre que você deu até aqui para chegar onde chegou, independente de que lugar seja esse;

  2. Depois nós vamos estabelecer a meta que será alcançada por você, enquanto artista, até o final de 2020;

  3. Por último, e mais importante, vamos traçar os caminhos e estratégias usados por você para chegar até a meta estabelecida. (Essa é a parte mais divertida <3)

Sua história e visão de mundo são únicas e intransferíveis, e foi essa caminhada que te manteve vivo e querendo progredir até hoje. Toda laranjada que se saiu, toda oportunidade que soube aproveitar, todo conselho bem dado, agradeça à sua vivência. E para ser um profissional de destaque dentro de qualquer mercado é importante valorizar e projetar sua trajetória, isso tem haver com inteligência emocional.


Com trajetória quero dizer, TUDO SOBRE A SUA VIDA, família, infância, relações sociais, amizades, amores, crenças, profissões. Pode parecer uma tarefa fácil ou banal se dar conta de sua própria vida, mas então porque travamos quando somos perguntados “quem é você?” ou “porque você faz o que faz?”. Anote e responda (não tem resposta errada) as seguintes perguntas:


  • Em que as vivências que tive me transformaram até hoje?

  • O que eu fiz a partir do que fizeram comigo?

  • Quem sou eu hoje? (sensações, sentimentos, hábitos, visões)

  • Quem eu quero me tornar ao final de 2020? (sensações, hábitos, escolhas)

  • Qual o papel do Hip-Hop na minha trajetória?

Esse exercício vai te ajudar a relembrar o porquê do caminho escolhido sempre que pensar em desistir, por exemplo. Vai auxiliar também no processo de se projetar melhor nas relações de trabalho, redes sociais e mídia, afinal um artista seguro, que entende a própria história, se posiciona melhor no mercado.

[ATENÇÃO!] Estamos construindo aqui a base da sua carreira, por isso é importante que você faça os exercícios em um lugar que possa acessar durante o ano inteiro, não em um papel qualquer que vai se perder, rs. Pode ser no bom e velho diário de poeta, na parede do quarto, no Google Drive, no aplicativo Trello ou qualquer outro lugar que te garanta acesso prolongado.

Planejar e executar [o corre tem que ser mental e virar hábito]


Então vamos aos finalmentes, o plano de ação do seu ano com o Hip-Hop. É hora de estabelecer e documentar as metas e responsabilidades que você pretende assumir neste ano, com sua carreira e com o movimento. Para isso vamos voltar ao método, porque bote fé, do momento em que internalizar que tudo na vida é questão de estratégia e hábito sua jornada será outra. Visão tá cara cerxs, essa veio gratuita na caixa dos peitos.


Nós vamos trabalhar aqui com um padrão de metas para não se perder no exercício. Sei que pode ser difícil fazer escolhas e acreditar nelas, seja pela ansiedade, pela autoestima ou por qualquer outro motivo. Eu também passo por isso, o tempo todo, porém estou me desafiando diariamente, afinal que outra opção eu tenho? Já dizia Emicida, “você é o único representante do seu sonho na face da Terra”.


O formato de metas que vamos usar é, [realista, objetivo nas palavras, atingível, mensurável e tangível]. Ou seja, a meta será um objetivo concreto e específico pelo qual você está disposto a trabalhar. Por isso ela precisa trabalhar em cima de possibilidades reais de acordo com a vida que você tem hoje, além de marcadores de alcance que vão estabelecer os prazos e etapas da sua meta. Isso se chama método SMART.


Ainda não está claro? Vamos de exemplo do que é uma meta smart e uma não- smart:


Ex. meta não-smart: “Fazer virar” e viver de arte

Ex. meta smart: Estabelecer tarefas semanais de gestão do meu corre. A partir de julho, tirar R$ 900,00/mês através da arte.


Compreendo o quanto pode ser difícil colocar coisas tão palpáveis em relação à sua arte, a sua subjetividade, no papel. Mas, é um caminho constante e seguro que com certeza trará retornos para você. Normalmente as pessoas se frustram com a arte e com o Rap porque elas não sabem o que esperar ou criam muita expectativa baseadas apenas nos seus sonhos e na trajetória de outros.


Sendo artista é muito fácil se perder em meio aos sonhos. Eu sei disso porque trabalho constantemente com algumas e entendo a dificuldade de planejar e executar tarefas tidas como chatas, mas são essas tarefas que vão te diferenciar no mar de pessoas talentosas que Salvador possui. Nós não podemos esquecer o espaço que existe entre o momento atual e o estouro regional, ou até nacional.


Não é para desanimar, mas para lembrar da realidade. O dinheiro e a realização artística estão no caminho que precisa ser percorrido. Ficar rico e famoso são metas intangíveis, sem tarefas direcionadas, prazos ou estratégias. E o que estamos fazendo aqui é um modelo de planejamento simples e pode ser encaixado na sua rotina, você só vai precisar de algumas horas de foco na sua carreira, para se preparar para realmente investir nela.


Muitas coisas podem estar no seu caminho como empecilhos e dificuldades em relação ao que você quer alcançar, eu sei. Por isso é importante contar com o intangível, o não controlável. Na realidade de pessoas pretas e periféricas a máxima que nunca deve ser perdida é que seu caminho é único e você precisa caminhar no seu tempo. Quem tem fé no próprio talento não tem pressa, o que tem pressa são contas, as bocas que dependem de você para se alimentar, vestir, viver. Então isso também deve entrar na equação do plano.


Construa o seu plano de ação e dê os primeiros passos


A realidade é que você vai precisar trabalhar com dois caminhos inicialmente, para não morrer de fome nem matar seu sonho. Se você está se preparando para isso, uma hora o caminho do dinheiro e o caminho do investimento na sua própria carreira (não falo necessariamente de dinheiro, mas também), se cruzam.


Chega de papo e vamos ao exercício 2, definindo as metas:


1. O que você quer atingir com o Hip-Hop ao final do ano?

  • O que precisa ser feito para isso? (recursos, mão de obra, pesquisa)

2. Quais fatores te afastam disso ou dificultam a realização?

  • Como você pode lidar com esses fatores ?

3. Quais práticas precisa adquirir para isso?

  • Quais hábitos precisa inserir no seu dia-a-dia? (estudo, rede social, networking)

  • Quais hábitos precisa se desfazer? (gastos excessivos, práticas prejudiciais, atrasa lado)

Eu sei, pode parecer muita coisa mas a gente não vai se desesperar porque tudo isso não vai acontecer da noite para o dia, será resultado de 1 ano inteiro de trabalho diário. Por isso nós vamos dividir a meta do ano em micro metas, ou seja, habilidades e recursos necessários para atingir o que você estabeleceu como objetivo final. Um exemplo, se a meta for lançar um Ep, vamos dividir a pré produção, a produção e a divulgação dele semana a semana, mês a mês. Assim, você vai conseguir acompanhar a evolução da sua meta e se desfazer daquele sentimento ruim de não estar fazendo nada pelo seu sonho ou não saber o que fazer.


Então agora eu vou te apresentar o seu melhor amigo, o plano de ação da sua carreira em 2020.


Você vai responder essa tabela com sinceridade, comprometimento e sendo muito realista com o que é possível nesse momento, ok ? Lembre que seu tempo é único e tenha firmeza nas escolhas feitas aqui. Não esqueça que todas as respostas devem levar às metas que estabelecemos, tá ?


Exemplo:

Semana: 03 a 08 (fev)

Meta/etapa: Escolher o estilo do Ep

Tarefas/caminhos: Conversar com pessoas experientes; Fazer pesquisa de beatmakers

Resultado esperado: Conseguir visualizar o conceito sonoro do Ep

Motivos para não desistir: É algo importante pra mim; É um passo para meu Ep nascer


Faça isso mês a mês, semana a semana e voilà ! Espero que esse texto tenha te ajudado a se organizar para atingir seus objetivos com o Hip-Hop, porque o meu é impulsionar pessoas talentosas à potencializar suas carreiras. A coluna Visão Tá Cara faz parte do projeto de um propósito muito verdadeiro e trabalhoso, por isso gostaria de ouvir a sua opinião e feedback. Comenta aí embaixo e até a próxima!


Um pouco mais sobre mim…


Sou Beatriz Almeida, jornalista e mobilizadora urbana. Permeio o Hip-Hop baiano a cerca de três anos, no lugar de observadora e potencializadora. Escrevia matérias sobre algumas atividades e pessoas aqui, fotografava alguns eventos ali, sempre buscando auxiliar a carreira de mulheres talentosas. Também tentava aplicar as ferramentas e técnicas aprendidas na faculdade de jornalismo e nos caminhos do empreendedorismo na trajetória do Coletivo Vira-Lata. Mais recentemente passei a experimentar o Hip-Hop do local de parte integrante e produtora, através da Coletiva ArMinina, hoje chamado de Selo Nsabas.


Se você gostou do conteúdo, quer elogiar, fazer críticas construtivas, mandar sugestões de temas, tirar umas dúvidas, ou apenas me dar um oi, pode chamar no @ageminianaplanejadora, lá também dou outras dicas sobre planejamento e gestão de carreira. Tamo junto, não é de boca!


Edição: Giovana Marques

© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados