OQuadro fala sobre importância de misturar referências: "matriz essencial da cultura hip hop&qu



Muitos diriam que o rap do Nordeste conseguiu conquistar espaço na cena nacional apenas em 2016 – com a explosão da música Sulicídio -, mas estes se enganariam ao pensar que foi só neste último ano que elas começaram a ser ouvidas por todo o Brasil. Exemplo disso é o grupo OQuadro, que surgiu no final da década de 1990 em Ilhéus, no litoral sul da Bahia, com músicas carregadas de cultura baiana.

- “Não é de hoje que Nova Era existe; não é de hoje que Afrogueto existe; que Testemunhaz existe; Quilombo Vivo; Versus 2; Elemento X; DaGanja. É muita gente de muito tempo atrás que não chegou nem ao conhecimento da própria cidade”, relembra o rapper Jef, que faz o vocal d’OQuadro ao lado de Freeza.

Eles se apresentaram junto com a banda no último domingo (20/05), na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador. A noite, que também teve o show de Emicida, relembrou a última apresentação do grupo na capital baiana, quando OQuadro tocou em mais um evento com o rapper paulista.

Confira a galeria de fotos completa do show do OQuadro e Emicida na Concha Acústica.

Para além de um rap criado na Bahia, o grupo traz também a ancestralidade do estado, buscando referências africanas tanto na musicalidade quanto nos conteúdos das letras. Para Freeza, essa identidade própria é necessária em todas as produções de rap: “o cara de Salvador não vai fazer um rap como o cara de Detroit (EUA). O cara de Detroid não vai fazer um rap igual o de Salvador”.

“A África sempre deu ritmos ao mundo e a gente sempre gostou de procurar o que os pretos de outros lugares estavam fazendo, independente de ser rap ou não. E a gente sempre teve essa coisa de ir buscar na fonte. O que a mãe terra deu para a africa, deu para a diáspora. A gente pesquisa a diáspora e a África”, conta Freeza.


Essa mistura de referências é uma das principais características que o rap proporciona, como lembra Jef: “o rap é feito de pedaços de outras músicas. Quando você escuta Africa Bambaata, ele sampleou um grupo de música eletrônica da Alemanha”. Ele continua afirmando a importância de se beber de diversas fontes, “essa é a matriz essencial da cultura hip hop”.

Ouça o CD completo “OQuadro”, lançado em 2012.

Se o primeiro disco do grupo só foi sair em 2012, o segundo trabalho não deve ter um espaço de tempo tão grande. Isso porquê OQuadro pretende lançar um novo CD neste ano de 2017, que já está no “famoso brainstorming, a tempestade de ideias”, como conta Freeza. Esse novo disco promete ser diferente do primeiro trabalho, é o que revela Jef: “ele vai vir completamente diferente do primeiro, espero que as pessoas gostem. Se assustar, vai tá valendo”.

#HipHop

© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados