Focado em manter a cultura viva, Érico Reiz é o mais novo DJ do RapBa; conheça!


Érico Rogério Ferreira Reis, 19 anos, começou sua carreira como DJ por influência dos pais, donos de uma casa de show, que sempre o incentivaram a seguir uma linha artística. Érico colava nas festas e sempre achou legal o papel do DJ nos eventos, o lance das mixagens e, com isso, foi tomando gosto pela coisa. Aos 15 anos, tocou pela primeira vez profissionalmente na Casa de Vidro, boate localizada na Ilha de Mar Grande, o atual Caravelas Music Bar. Hoje ele faz parte da cena e vem crescendo junto com o grupo All In no qual ele é DJ.


Como é cultural ou, ainda mais comum, a maioria dos Djs normalmente começam com uma linhagem mais voltada para música eletrônica; gênero esse que se popularizou e, dessa maneira, de uns tempos para cá cresceu absurdamente no Brasil. As raves não me deixam mentir. E com Érico não foi diferente, seus primeiros trampos também tiveram esse perfil. Mas hoje o DJ Érico produz bases para o hip hop.

“O rap sempre foi muito presente na minha vida, mas eu nunca tinha tocado nada do gênero. Eu estou chegando na cena do hip hop agora juntamente com os meninos do All in, grupo no qual eu faço parte também”

Sobre a transição do eletrônico para o rap Érico diz está gostando demais e, para ele, é como se nunca tivesse feito outra coisa antes. “Eu já fui para o estúdio, já produzi algumas bases para o grupo e estou gostando muito. Em menos de cinco meses o rap fez com que eu me sentisse em casa. Me sinto muito melhor fazendo o que faço hoje”.

Érico contou ao RAP071 que o seu primeiro projeto na música e na cena do rapBa foi a criação/produção do evento ‘Um Barril de Trap’. A festa reúne algumas vertentes do hip hop como batalhas de freestyle e muito rap. O evento acontecerá no próximo dia (20), na casa de show Salvador Music Place, em Patamares - mais informações na Agenda do RAP071.

É, galera... uma festa pode existir até sem MC, mas sem DJ o negócio fica complicado. A sua presença é essencial para conduzir o rolê e, mesmo que seja mais difícil hoje em dia ver a sua figura no centro, os fachos estão para o MC, na origem ele era o protagonista. O fato é que a figura do DJ mantém a cultura hip hop viva com suas técnicas e conhecimentos. Nosso sincero agradecimento aos artistas que enriquecem a cena.


© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados