Direto da Cidade Baixa, conheça '50 batidas de Rap'



É da Cidade Baixa que se ouve as batidas de rap, ou melhor dizendo: as 50 batidas de Rap. Criada no final de 2014, o grupo formado por Israel Oliveira (Sid), Hebert Ribeiro (Siva), Mateus Madruga (Madruga), Fabio Aloha (Aloha), surgiu a partir de um projeto de musica no colégio e com intuito de fortalecer a cena do Rap na Cidade Baixa e representar o Nordeste.

Batemos um papo com o Mateus Madruga para descobrir um pouco sobre o grupo e a sua relação com o rap soteropolitano. Ele conta que o som da 50 Batidas de Rap traz respostas para as pessoas que “nunca apoiaram a cena do rap e que diziam que esse estilo e o grupo não levariam a nada, faz uma critica sobre as pessoas que oprimem a galera, que só querem impor o que elas acham melhor”.

OUÇA A MÚSICA '50 MOTIVOS'


Madruga afirma a cena em Salvador e no Nordeste vem crescendo a cada dia e, apesar de varias pessoas curtirem mais grupos de fora, muitos rappers estão ganhando destaque pelos seus trabalhos. Exemplos disso é Baco Exu do Blues, Sincronia Primordial, Vandal, Diomedes Chinaski (Pernambuco), que vêm produzindo um som muito bom e de destaque nacional.

- “Eu vejo muita gente pagando pau para os sons de fora. Acho errado não, até porque eu também curto os sons de fora sim, mas o Rap aqui em salvador tá muito forte”.

Sobre os projetos, eles já têm no youtube o Sem Censura - que já bateu 2.000 visualizações -, Que se Foda - que bateu 1.000 visualizações-, o single 50 Motivos e o Trap Ultima bala. O grupo segue gravando outras tracks que devem estar no primeiro EP, que será lançado provavelmente em dezembro ou em janeiro.

Para o ano que vem, o grupo planeja lançar ainda dois EPs e fazer alguns singles, como conta Madruga: “um vai ser com O Real que vai ser “Psicose” - que promete ser um som bem louco, pra galera bater cabeça mesmo. Vai ter também um com o Raro Efeito, e um com a CDois”.


Madruga aproveitou também para falar sobre a pegada das músicas do 50 Batidas de Rap. Ele conta que o grupo se inspira muito no Trap por ser um som mais pesado e passar de forma mais direta a mensagem.

- “Nós somos mesclados, fazemos tanto um quanto o outro. Dividimos bem os dois, apesar de preferimos o Trap. A mensagem é passada da mesma maneira nas duas pegadas: Rap é informação. Hoje você não vê uma banda de rap que não tenha pelo menos um Trap, porque todo mundo gosta. Ele é um estilo de beat mais aberto, mais pesado que você passa a mensagem bem mais rápido e mais inspirada que no Underground”.

#CidadeBaixa

© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados