Com casa lotada, Aurea Maria lança o EP #RoxoGG



Com a casa lotada, a noite de sábado do dia 04 de Fevereiro de 2017 ficou marcada pelo lançamento do primeiro Ep da Aurea Maria, o #ROXOGG, na 14ª edição do evento Bang Doido. Antes da cantora subir no palco do 116º Graus, a equipe do Rap071 trocou uma ideia com ela para saber um pouco mais sobre esse lançamento e as suas expectativas. A previsão é que o som chegue aos ouvidos do público no final deste fevereiro.


Ela conta que esse momento é muito gratificante e que nem ela mesma esperava que houvesse tanta repercussão. “O pessoal, logo quando eu cheguei começou a me abraçar, perguntando se eu ia tocar todas as faixas do EP, perguntando se eu estava bem...”, conta Aurea, que apesar de lançar o seu primeiro trabalho gravado, já agita a cena do rap em Salvador.

Confira entrevista completa com Aurea sobre o #ROXOGG

Um exemplo da sua inserção nos eventos da música soteropolitana e o seu reconhecimento de artistas do meio, foi a sua participação no show de Nova Era, durante a última edição da 999 - A Festa. Outra expressividade significativa para o início de um trabalho foi a produção do clipe "Aurea Abolicionista", faixa que também compõe o #ROXOGG, e que em quinze dias de publicado, já possui cerca de 8 mil visualizações.


Com um pouco mais de ano de produção do EP, desde as letras, beats e produção de clipe, ela teme que o trabalho esteja sendo lançado com um pouco de precipitação, principalmente pelo fato de ser um álbum estritamente pessoal, mas tem a certeza de que o publico vai se identificar e gostar.

Aurea falou também sobre a influência que já está exercendo sobre as meninas que curtem rap na capital baiana. “Algumas já vieram, sim, me agradecer. Disseram que já esperavam isso de mim, que estavam esperando isso de uma mulher preta! Que ela chegasse e metesse a cara, e varias delas já tiveram a atitude de estar escrevendo e se encaminhando pra gravar”, conta em tom comemorativo.


Tácia Muniz, estudante de 17 anos, conta que conheceu Aurea na batalha do 3º round e a considera uma peça muito importante no movimento HipHop como representação feminina, devido a carência de mulheres no meio, principalmente em Salvador. “É muito gratificante ver que ela está lançando o EP dela e eu estou aqui pra fortalecer a cena feminina de Salvador”, realça Muniz, sobre a importância das mulheres ocuparem os espaços do hiphop. Já a estudante do curso de dança na Universidade Federal da Bahia (UFBA), Adrielle Bispo, comentou sobre o clipe Aurea Abolicionista, julgando ser "uma atitude bacana pela ideologia que ela carrega".


Já no palco, Aurea soltou a voz e empolou o público com as suas letras marcadas pelas reflexões sobre família, gueto e desigualdade social. O show teve também as participações de Indemar Nascimento, Debora Evequer e Brena Élem, apresentando o que vem por aí no álbum e aguçando a expectativa da galera sobre o EP. Em seguida, o comando dos microfones foram assumidos pelo grupo Contenção 33.

“É muito gratificante acompanhar isso tudo, acompanhar cada passo, ver ela gravando, saber que ela tá evoluindo e saber que ela é minha base, pra saber se está bom se está ruim e é isso, ela é minha irmã”, nos contou Debora Evequer.


© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados