Rapper Jhomp comenta postura de novos MC's

A cada dia, novos grupos e mcs surgem no cenário de Salvador e do rap nacional. Com a ajuda das redes sociais, os rappers divulgam seus trabalhos e têm um contato direto com o público. Apesar dessa crescente na cena do rap, muitos MC’s estão esquecendo a real origem do movimento, pelo menos é o que afirma o rapper soteropolitano Jhomp. Ele conversou com o Rap071 sobre a falta das raízes do movimento hip hop para os novos grupos e rappers que têm surgido nos últimos anos no cenário. Para Jhomp, as letras atuais de Rap não trazem mais protestos e reivindicações do povo da periferia. - “A gente tá mandando mensagem e esquecendo o alvo. Quem é que tem que ouvir a mensagem? A gente tá tentando ba

DJ Branco fala sobre importância da comunicação para o fortalecimento do movimento hip hop

Ele milita desde o final da década de 90 na cena do hip hop baiano. Comunicador e um dos principais nomes na luta pelas rádios comunitárias, produz o programa Evolução Hip Hop, na Rádio Educadora FM (107.5). Hamilton de Oliveira, conhecido como DJ Branco, é um dos nomes mais relevantes para o cenário do movimento no estado. Em 2005, ele criou o coletivo Comunicação, Militância e Atitude Hip-Hop (CMA HIPHOP), que trabalha com a articulação, mobilização e produção de comunicação social do movimento hip hop na Bahia. Ele específica que o grupo “dialoga também com movimentos sociais em geral e, principalmente, com o movimento negro”. Dj Branco critica fielmente a legislação para concessão de rád

Sincronia Primordial prepara novo EP para início de 2017

Com Dimme Roots no mic e o DJ Robert Marley nos beats, o grupo Sincronia Primordial saiu de Feira de Santana para conquistar público em Salvador. Eles ganharam visibilidade a partir do clipe “Nas Ruas do Nordeste”, gravado em Salvador e com participação especial de Predella, do Costa Gold. A faixa faz parte do disco ‘Várias Visão’, primeiro EP do grupo. Agora os garotos da Sincronia se preparam para trazer ainda mais participações no novo disco que deve ter suas primeiras tracks divulgadas ainda neste ano. “Vem muita coisa por aí, a galera não perde por esperar”, prometeu Dimme. Ele adiantou para o Rap071 que serão lançadas oito músicas neste novo EP, trazendo participações do Rap baiano. Ou

Artistas comentam importância da série 'The Get Down' para as raízes do Hip-Hop

Em meio a guerra entre gangues no bairro do Bronx, em Nova York, um movimento que mistura música, dança e grafite surge como alternativa para tirar os jovens da criminalidade. Dentro deste cenário, a série da Netflix The Get Down revive o início da cultura hip-hop no gueto dos Estados Unidos, na década de 1970. O movimento que surgiu nas ruas ganhou força e representatividade em todos os guetos do mundo, e em Salvador não seria diferente. A cultura hip-hop ganhou forças na capital baiana a partir da década de 1990, com as crews e posses que se aliaram aos blocos afros e de samba-reggae. Retomar ao surgimento do rap, enquanto elemento da cultura hip-hop, é fator essencial para a autenticidade

Campeã da 1ª Liga Nacional Feminina de MC's, Janaína Noblat conversa com o Rap071

Natural de Saúde, cidade no interior da Bahia com pouco mais de 11 mil habitantes, Janaína Noblat chegou há pouco mais de quatro anos em Salvador e já tem conquistado o cenário soteropolitano. Ela, que sempre fez poesia, conheceu o Rap através da rapper Mirapotira, um dos principais nomes femininos no cenário soteropolitano. Jana conta que foi convidada por Mirapotira para fazer o reforço em um som dela, e que, depois dessa primeira experiência nos palcos, começou a pesquisar e se organizar para fazer aquilo que sempre quis: “expressar o que o meu interior gritava, como minhas experiências de vida e etc”. Ela enfrentou alguns preconceitos e barreiras para conquistar o prestígio que tem hoje

Fãs reclamam da falta de público em shows de grupos locais

A quarta edição da festa “1990 – Edição Especial OLD!$”, que aconteceu em setembro na boate Berlim, no Rio Vermelho, reuniu mais uma vez um público fiel ao cenário local. A edição especial do evento reuniu o coletivo OLD!$GRAÇA, DDH (Direto do Hospício), Contenção 33 e Beirando Teto, além dos DJ’s Dakaza, Tia Carol, Fresh Prince da Bahia e Sly. Apesar da casa não estar lotada – o que acaba melhorando a circulação durante a festa-, os fãs do rap soteropolitano marcaram presença e aproveitaram para criticar o público que não comparece às festas locais. O estudante Yuri Melo reclamou do apoio apenas ao cenário nacional e reforçou o crescimento da cena em Salvador: - “Tem muita gente que ainda e

Fernandinho Beat Box critica nova geração: "o rap vai muito além disso"

Com um microfone e um amplificador, ele consegue emitir as mais diversas batidas com os mais variados sons. Não é por menos que Fernandinho Beat Box é um dos principais nomes do Brasil e mundo quando o assunto é a percussão vocal do Hip Hop. Com um passado aonde já chegou a dormir na rua, hoje Fernandinho viaja o mundo fazendo apresentações nos shows de Marcelo D2. Ele acompanha desde 2004 o rapper paulista de quem recebeu o apelido de “o incrível, o extraordinário: Fernandinho Beat Box”. Eles estiveram em Salvador durante o show da turnê “Nada Pode Me Parar”, em outubro deste ano, onde D2 apresentou o seu último disco e sucessos antigos da carreira e do grupo Planet Hemp. Claro, o público t

Denúncia social marca show de Criolo na Concha Acústica

O rapper Criolo trouxe a Salvador, em setembro, um show com características inerentes ao nascimento do rap, utilizando de denúncias, protestos e explanações sobre temas políticos e sociais vigentes no Brasil. A apresentação, realizada na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, fez parte da turnê Ainda Há Tempo, nome do álbum lançado em 2006 e remasterizado neste ano. Um dos discursos mais ativos proferidos por Criolo foi embasado em números compilados pela Anistia Internacional, através pro projeto Jovem Negro Vivo. "Diga não ao extermínio da juventude negra, dos jovens das periferias, das favelas", comentou Dj Dandan, músico que compõe a crew que sobe ao palco, enquanto os dados da Anistia

O Real participa de show com rappers do Rio

O grupo O Real representou o Rap soteropolitano durante o evento DHZ Night, que reuniu os principais grupos da cena atual do rap carioca aqui em Salvador. Haikaiss, Cone Crew Diretoria, Cartel MC's e 3030 foram as atrações principais do evento, mas o público que esteve no Alto do Andú também foi para prestigiar o grupo local, formado pelos MC's Vegas e Yoha e pelo BeatMaker Catu. O evento produzido pela DHZ esteve lotado e mostrou que o público de Salvador tem acompanhado os novos grupos do Rap Nacional. A presença massiva do público agradou Vegas, que falou sobre a importância disso para quem esta surgindo agora, como é o caso do O Real. - "Graças a Deus eu tive o prazer de conhecer Moska,

Emicida reúne rappers baianos em apresentação na Concha Acústica

Um dos principais nomes do Rap Nacional, Emicida voltou para Salvador em mais um evento com casa lotada. Desta vez o palco foi a recém inaugurada Concha Acústica, que recebeu o público de rap soteropolitano. Entre as participações do show, Emicida convidou os rappers baianos Nouve e Mobbiu para representar a cena local. Trabalhando com o paulista na empresa Laboratório Fantasma, dos irmãos Emicida e Fioti, Nouve pôde se apresentar pela primeira vez para um grande público em Salvador. - "A gente tem que chegar aonde o público está e não procurar se limitar. Se a gente tem um sonho, a gente tem que buscar e fazer a coisa acontecer mesmo, na garra, porque só vai depender da gente. Barreiras vã

© 2020 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados