Patrimônio do Rap-BA, 3° Round realiza seletiva para o Nacional



Às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais, houve uma movimentação intensa dos militantes do hip-hop nacional, com o lançamento de raps contra o posicionamento fascista (representado pelo candidato da extrema direita), além de diversas batalhas de MCs pró-democracia. Em Salvador, o dia 27 de outubro também foi marcado como um dia de luta e resistência do hip-hop.


No Mercadão Cultural, localizado no bairro do Rio Vermelho, aconteceu a primeira seletiva do 3° Round – Circuito de Rima Improvisada, batalha de MCs de Salvador, organizada pelo coletivo Boom Clap. A competição selecionará um MC para representar o estado da Bahia no torneio nacional, o Duelo de MCs, em Belo Horizonte, nos dias 15 e 16 de dezembro.


O evento contou com discotecagem dos DJs Moura e Nai Sena, apresentação do MC Yan Cloud e do coletivo Underismo, além da batalha de rimas entre oito MCs: Chagas, Treck, Nad, Ducai, Willie, Larício, Neo e Meg. Infelizmente, a poetisa e MC Amanda Rosa, que ficou em 2° lugar na pré-seletiva (dia 29/09), não estava presente e não tivemos nenhuma MC mulher.


A batalha contou com rimas politizadas, e quase todos se manifestaram contra o retrocesso político. Com pesadas rimas de denúncia do racismo estrutural, Chagas MC foi o campeão desta seletiva. MC, de 21 anos, faz rap há cinco e membro do grupo Parenética (com Twitch e Jonny). Chagas é ainda organizador da batalha do Trem Bala, que acontece todas às quintas-feiras, ao lado da estação de metrô Bonocô, e poeta urbano nos transportes coletivos de Salvador.


“3° Round era uma batalha que acontecia mensalmente, tiveram vários MCs, tirou um MC baiano campeão nacional, Larício. 3° Round é de extrema importância para o movimento hip-hop. Eu, pela minha vontade, é um bagulho que aconteceria mais vezes, mas pelas limitações que a gente ainda tem, a gente faz como pode, né?” (Chagas MC)


Michel Bennet, morador do bairro de Nordeste de Amaralina, MC, foi prestigiar o evento. Bennet começou a batalhar em 2010 e sua primeira participação em batalha foi em uma edição do 3° Round no Jardim de Alah, que contou com a presença de alguns “monstros” do rap – como 16 beats e Mobb. Hoje organiza a batalha Na Ativa, que acontece aos sábados, na Praça do Imbuí, ao lado da praça de skate.


“De toda a cena de Salvador, a cena pode acabar amanhã, a gente não sabe, mas 3° Round é patrimônio do rap baiano, não vai existir outro campeonato, outra roda de rima, outro conceito cultural, sem falar do 3° Round. Foi importante pra mim numa época passada e está sendo importante para alguns agora. Você vê que o Bert representou ano passado, eu ainda não sei quem vai representar, mas tenho minhas apostas, é de suma importância que aconteça para a cultura se manter, porque é uma batalha que visa a melhor estrutura para um MC, ir para fora e defender não só seu estado, mas sim seus ideais.” (Bennet)

Apesar da falta de mulheres rimando, havia muitas mulheres no evento, como Ariana, 22 anos, moradora de São Cristovão, que disse que está estudando para ser MC.


A próxima seletiva será dia 18.11 na Cruz Caída, no Pelourinho e o evento decisivo no dia 30.11 na Praça Quincas Berro D’Agua.


Ps: O RAP071 se sente muito honrado por ter sediado uma edição especial do 3º Round durante a sua celebração de 1 ano.


Clique aqui e confira mais fotos de outras edições do 3ºRound.



Por Regiane Miranda, pesquisadora em Cultura e Sociedade e colaboradora do RAP071

Fotos: RAP071 (1 e 3 - Gabriel Soares / 2 - Isa Gonçalves)

© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados