Papo reto! Conheça os colunistas Rap071



Com intuito de proporcionar diferentes reflexões para os nossos leitores, o RAP071 montou um time de colunistas que todo início de semana irá disponibilizar alguma produção literária sobre assuntos diversos, mas sempre sustentada pelos valores atrelados a história do hip hop.

A proposta nasce a partir da percepção de que, para emancipar o universo intelecto e crítico de cada um, é necessário fornecer bases informativas de diferentes realidades, experiências e visões de mundo. Os nossos colunistas são: Jussara Santana, Preto Du, Luiz Fernando e Raí Faustino.

O convite para cada integrante desse elenco foi feito de acordo as peculiaridades das atuações em seus respectivos trabalhos e, obviamente, o seu envolvimento com a música rap. Buscando formas de narrativas diferentes, o bonde é formado por uma produtora cultural, um jornalista, um músico e um vlogger. É assim que a sessão Colunista do RAP071 pretende abordar os assuntos do cotidiano soteropolitano: a partir da pluralidade dos campos dos saberes.

Conheça um pouco mais sobre cada um deles:

JUSSARA SANTANA

"Uma das coisas que quero falar é sobre a diversidade da música rap e a resistência dessas mensagens na terra do pagode e do axé".


Publicitária de formação, além de produtora de eventos e ativista do movimento negro, Jussara Santana é figurinha carimbada quando o assunto é resistência da música alternativa em Salvador. Foi ela quem produziu os shows A Força do Rap, realizados em 2008, 2009 e 2010.

A negona foi responsável também pelo acontecimento de mais de dez eventos de reggae music, dentre eles o seminário A Música Reggae em Debate, o show Tributo a Bob Marley e apresentações durante o carnaval, como com a banda Aspiral do Reggae.

Para além da música, Jussara organizou eventos que estão completamente associados aos temas de influência no hip hop, a exemplo dos eventos Marcha Zumbi dos Palmares e Agosto Negro.

LUIZ FERNANDO

"Há muito o que se dizer. E, no momento político em que vivemos, é urgente ouvir, tragar e agir. Portanto, o hip-hop com seus quatro elementos nunca foram tão importantes quanto agora"


Paulista radicado na Bahia, ele é jornalista e atua com maior ênfase no jornalismo político. É editor-chefe de um veículo online de Salvador, já foi colunista do impresso de maior referência no estado, e carrega na bagagem algumas coberturas de momentos políticos históricos para o Brasil, como a votação do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Na faculdade, ressuscitou o projeto Soul Black junto a uma rádio comunitária, programa sobre música preta idealizado pelo músico Russo Passapusso e pelo também jornalista, Lucas Peixoto, introduzindo o rap na programação dos altos falantes periféricos da cidade. Sua interação com o gênero se deu, também, com a proximidade ao grupo Afrogueto, em especial com os Mc's Kiko e Oz.

PRETO DU

"Usar nossas gírias, nossas raízes, falar de nossa terra do nosso jeito fortalece, e muito, nossa identidade, sim. Nós conhecemos quase todos os bairros, gírias e costumes da periferia de São Paulo de tanto ouvir nas letras de rap. Porque não falar da gente também?"

- entrevista ao Onde a Favela Chegou -


O grupo Simples Rap'ortagem ganhou uma significativa repaginada quando, em 2009, Preto Du assumiu um dos microfones, se juntando a Jorge Hilton. A sua inserção aos palcos acompanha a sua capacidade em compor e rimar, tendo sido iniciado em uma das maiores referências do rap soteropolitano, grupo com mais de 20 anos de estrada.

Um exemplo vivo que o rap educa é a relação desse cara com a música, já que o interesse dele pelas letras da Simples nasceu dentro da sala de aula, graças a um professor que o apresento a música "Quadro Negro". Em 2006 conhece a Rede Aiyê, onde aprendeu e se inseriu na militância junto ao hip hop. Outra habilidade de Preto Du é a sua versatilidade em construir diferentes estruturas textuais, variando suas produções entre, por exemplo, poemas e crônicas.

RAÍ FAUSTINO

"Apesar da representatividade da cultura Hip Hop está aumentando, a repressão contra o negro não parou, na verdade são mais e mais casos e eu mesmo vivi isso neste ano. Enfim, eu queria passar um pouco dessa minha opinião e dessa experiência pessoal"


Seu canal no Youtube intitulado de Faustino Beats virou referência quando o assunto é análises do rap nacional, e hoje conta com mais de 10 mil inscritos. Quando adolescente, ele, que hoje é engenheiro, iniciou a sua relação mais próxima com a música ao integrar algumas bandas de Rock'n Roll. Já com o hip hop, o músico se aproximou pelo âmbito da produção musical, montando beats para artistas do cenário, além de se aprimorar e exercer as funções de gravação, mixagem e remasterização no seu home estúdio.

A riqueza de detalhes e propriedades sobre o que ele fala, o levou a ser convidado para compor a equipe do Rap Nacional Download, maior portal sobre o rap brasileiro em atividade na internet. Em dezembro deste ano (2016), Faustino publicou uma das suas experimentações enquanto Mc, produzindo, compondo e gravando a música 888, obra muito elogiada pelos seus seguidores na web.

#Colunistas #LuizFernando #RaíFaustino #JussaraSantana #PretoDu

© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados