Emicida reúne rappers baianos em apresentação na Concha Acústica



Um dos principais nomes do Rap Nacional, Emicida voltou para Salvador em mais um evento com casa lotada. Desta vez o palco foi a recém inaugurada Concha Acústica, que recebeu o público de rap soteropolitano.

Entre as participações do show, Emicida convidou os rappers baianos Nouve e Mobbiu para representar a cena local. Trabalhando com o paulista na empresa Laboratório Fantasma, dos irmãos Emicida e Fioti, Nouve pôde se apresentar pela primeira vez para um grande público em Salvador.

- "A gente tem que chegar aonde o público está e não procurar se limitar. Se a gente tem um sonho, a gente tem que buscar e fazer a coisa acontecer mesmo, na garra, porque só vai depender da gente. Barreiras vão existir sempre em qualquer lugar, mas acho que nossa vontade é maior que tudo".

Nouve teve o primeiro contato com Emicida durante um show do rapper aqui em Salvador. Na ocasião, ele conversou com o paulista para vender os seus CD's aqui em Salvador, e assim começou uma parceria que resultou na entrada dele para o Lab Fantasma.


Já Mobbiu relembra o primeiro contato com Emicida. O rapper e também empresário, foi o primeiro a trazer o cantor para Salvador. Ele lembra a história:

- "O primeiro que eu fiz do Emicida aqui ele que me ligou: 'Porra, você que é Rangel? Quero tocar em Salvador, como que faz?'. 'Oh mano, eu compro as passagens aqui, você vem e vai ficar no local aqui do meu amigo e o que sobrar de dinheiro a gente divide'. Sobrou 300 conto, minha esposa trabalhou comigo e chegou lá e falou para eles: 'Oh mano, leve os 300 conto que sobrou porque a gente tem outro emprego e não vai fazer falta, e você tá no corre aí'".

Relembrando a máxima da cultura hip-hop de que "se cresce junto", Mobbiu e Emicida fazem uma parceria que chega ao quarto show do rapper na Capital Baiana. As dificuldades encontradas na cena atrapalham o surgimento de novos MC's, mas shows como o do bem sucedido Emicida motivam os adeptos do Rap.

- "Eu acho que o Rap daqui ele já há muito tempo vem amadurecendo. Tem muitas pessoas trabalhando, compromissado mesmo com a causa. Porém, o mercado é bem complicado aqui para você conseguir um incentivo à cultura, um financiamento para você lançar um disco", opinou Nouve.


Mobbiu também pontou a importância de todos se unirem para fortalecer o cenário do Rap soteropolitano. Ele citou novos estúdios e produtores que têm aparecido e como isso ajuda a crescer o cenário.

- "Quanto mais gente tiver fazendo produções dentro da cidade melhor, mano. Para todo mundo. Assim como os estúdios. Então quanto mais gente estiver trabalhando, para mim vai ser massa porque você descarrega várias funções que ficam nas mãos de um só".

Ouça um pouco mais da entrevista com Mobbiu:


#ConchaAcústica

© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados