Diego 157 fala sobre novo EP, processo criativo e Cidade Baixa - Confira a entrevista


O Mc e beatmaker Diego 157, cria da Cidade Baixa, especificamente da Massaranduba, e nome consagrado no rap baiano, lançou seu terceiro EP intitulado “Atemporal”. O trampo nos contempla com cinco faixas bem elaboradas, com habilidade lírica avançada e instrumentais de peso, que reforçam a versatilidade do artista e justificam o porquê do cara estar a vários anos se envolvendo com produções de rap e assinando seu nome ao lado de rappers de outros estados.


“Atemporal” é um mergulho de cabeça no universo particular dos sonhos e pesadelos de Diego 157, com contornos reais de luta racial, rebeldia e resistência, experiências noturnas e barbárie que, por fim, sintetizam-se com a peculiaridade poética do rapper.

Para ser o produtor do seu próprio trabalho, reforçando a cultura do selo independente no rap, a responsabilidade de fazer a gravação, mixagem e masterização das cinco faixas que compõem o EP foi do próprio artista. Os instrumentais utilizados nas músicas são do norte americano Apollo Brown.

O Rap071 trocou uma ideia com o mano sobre esse novo trampo e você confere abaixo o que ele disse:


- "Atemporal" é seu terceiro EP. Como surgiu o nome? Conte sobre o caminho do processo de produção do EP, influências e quanto tempo durou até o lançamento.

Diego 157 - Em 2015 eu lancei um EP intitulado “Antes da Mixtape” que como o nome sugere, antecederia minha mixtape que ainda vem sendo trabalhada. Já em 2016, além de alguns singles, lancei o EP “Equação”, mas como o meu processo criativo não segue uma linha uniforme, em uma semana escrevi as cinco letras desse último EP e, como não estava previsto pra ser lançado antes de aprontar a mixtape, o título de Atemporal casou perfeitamente com a ideia. O processo foi basicamente esse, uma letra por dia somadas aos instrumentais do Apollo Brown, que pra mim é referência, e em dois meses eu tinha tudo pronto, tanto a parte musical, quanto a parte visual do trabalho.

- Quem assinou a arte visual?

Diego 157 – Eu mesmo assinei a arte usando o pseudônimo InCoMum, meu segundo experimento com ferramentas de design. Como digo na descrição do EP, a arte reflete um mergulho de cabeça no meu mundo particular em busca do tempo e sonhos perdidos para uma reconstrução do que acredito na direção do meu eu quando ninguém me vê, enquanto o horário do relógio faz alusão ao 157.


- Quais aspectos/características diferencia Atemporal dos dois primeiros trampos?

Diego157 – O primeiro EP foi um disco colaborativo, onde todas as faixas continham participações especiais. No Equação também houveram algumas colaborações, como as de Galf e Márcio M.U, e também do grupo Nois Por Nois. A diferença principal do Atemporal para os dois EP’s anteriores é que esse é um trabalho mais pessoal onde eu cobro mais de mim. O conteúdo das letras segue a mesma linha de sempre e o resultado final me agradou bastante.

- Como cultura do rap, você é um dos rappers baiano que mais levanta e defende a bandeira da sua quebrada. Qual a importância e influência da cidade baixa nesse novo trampo?

Diego 157 – Eu sou cria da CBX, nasci e cresci aqui na Massaranduba vendo tudo de bom e ruim que uma comunidade abandonada pode oferecer aos seus moradores. Um lugar onde como em muitos outros o único órgão do Estado que chega até a gente é a PM despreparada, onde a única opção de lazer é um campo de futebol e essas situações indignam, e consequentemente, são transformadas em rap. Talvez se eu fosse de outro local não fizesse o tipo de rap que faço. Por essas e outras que esse trabalho é dedicado a minha quebrada que fez minha música ter a essência que tem.

- O fato de ser Mc e beatmaker talvez proporcione que o trampo chegue o mais perto possível do desejado. O EP "Atemporal" atendeu suas expectativas? O que você espera com o lançamento?

Diego 157 – Sim, ser Mc e beatmaker muitas vezes facilita o caminho a ser percorrido. O EP Atemporal é o segundo de um série de três EP’s, com instrumentais do Apollo Brown, que como falei no início, é uma influência pra mim. Tenho tido um retorno muito positivo desse lançamento, muita gente elogiando, tanto as músicas, quanto a arte. Já circulei por alguns sites e blogs que cobrem o Hip Hop aqui no Brasil, estou ensaiando o show desse disco e o próximo passo é conseguir fazer clipe de algumas faixas pra completar esse ciclo com a sensação de dever cumprido. Vale lembrar também que tanto o EP "Equação", quanto o "Atemporal" estão na lista do El Cabong para a escolha dos melhores discos baianos lançados em 2016 figurando entre grandes nomes da nossa música, o que foi muito gratificante pra mim ser relacionado é lembrado com esses trabalhos.

Então dê o play e ouça Atemporal:


#Diego157 #NovoEP

© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados