Das batalhas para o estúdio: Trevo lança "Escurecimento" com participação de Senpai


Quem acompanha a Batalha de Mc's São Caetano Resistência, na quadra de São Caetano às quintas-feiras, certamente já ouviu as rimas de Trevo e Senpai. Foi lá onde a parceria entre os dois nasceu, quando Trevo ainda buscava incentivo pessoal para batalhar, mas já acompanhava a sagacidade de Senpai com o microfone na mão.

E como nem só de improviso vive o rap, no último dia 14 de março a cena soteropolitana conheceu mais sobre a habilidade dos dois na faixa "Escurecimento", música que tem no seu propósito a subversão das referências atribuídas ao negro na sociedade preconceituosa em que vivemos. Assinatura sagrada nas músicas da nova geração, a produção fica por conta de Christian Dactes, e o lyric vídeo é autoria de Gabriel Salvi.


Iago Roger (Trevo) conta que lembra quando Darlan Oliveira (Senpai) começou a frequentar a característica batalha de São Caetano, no final do ano passado, despontando como a principal ameaça à Mc Dreher, músico ganhador de algumas edições.

"A partir dali eu achei o moleque [Senpai] muito sagaz, cheio de ideia e o mais importante de tudo, um cara que dá a alma pelo sonho, pois vi logo depois que ele colava em várias quebradas pra batalhar e divulgar o trampo do grupo Genesy, grupo do qual faz parte", conta Trevo sobre as impressões que influenciaram a buscar a parceria com Darlan. Não demorou muito e os dois se encontraram na final de uma edição da batalha.

"Um dia botei o meu nome na inscrição da batalha e me encontrei com ele na final, foi uma das melhores batalhas que fiz na minha vida. Depois daquela troca de energia e informação eu me senti na obrigação de gravar uma faixa com o garoto", pontua Trevo.

Sobre o processo de criação da música, que destoa muito da velocidade requerida pelo improviso, Senpai acha ser "mais legal e ao mesmo tempo o mais chato", porque o resultado da música é um produto coeso, mas rimar 'na hora' requer a destreza de organizar as ideias em pouco tempo. "Na batalha você tem o esforço de ser rápido pra organizar a frase e nem sempre ela sai do jeito que você espera. Já escrever, você precisa de muito tempo pra deixar tudo perfeito no seu ponto de vista, em questão de flow, métrica e uso de técnicas", analisa.

Confira um pouco das rimas de Senpai nesse vídeo da Batalha do 3º Round:



Para Trevo, uma coisa complementa a outra e é preciso estar nos dois tipos de envolvimento para proporcionar uma evolução do raciocínio. Ele acredita que "a rima improvisada juntamente com a leitura são elementos importantes para alguém que está começando a fazer rap pois expande a mente, aumenta o vocabulário e faz a mente trabalhar muito mais rápido durante o processo de escrita".

Entretanto, o Mc ataca a cena quando lembra que muitos cantores colocam temáticas em suas letras e em seus discursos que destoam da verdade que vivem e dos propósitos que as lutas sociais pedem. "Vejo muitos artistas da city querendo tomar a causa das minas pra si, discutindo sobre feminismo e fazendo textão no facebook que tem comportamento de monstro nas festinhas. O karma não falha, não adianta tentar se esconder, se você vive uma mentira um dia a sua máscara cairá", dispara.

Não diferente de outros profissionais que buscam suas inspirações no cotidiano, Trevo faz dos momentos na rua e no ônibus um verdadeiro ateliê de ideias, tirando suas letras das análises que enxerga no dia a dia. Estudante do curso de História, muitas contextualizações que você ouve em Escurecimento é fruto também de estudos acadêmicos. "o curso ajudou bastante na manutenção das minhas ideologias, classificou tudo que venho presenciando na rua desde a infância e me mostrou o que é cada coisa, trata-se do racismo, preconceito, feminicídio o genocídio do povo preto, etc", conta em entrevista ao RAP 071.


Na mesma linha de raciocínio vai a inspiração de Senpai. Questionado sobre o sentimento e reflexão que ele busca para quem ouve suas letras, explica que apenas joga na música aquilo que vive, pensa e procura conhecer. "Quando escrevo gosto de falar sobre o que já pesquisei, sobre o que eu acho, sobre o meu ponto de vista de cada coisa, escrevo pra mim mesmo.. apenas escrevo, só espero que alguém curta e se identifique com o que foi escrito", torce.

O futuro está próximo para os dois, mas a partir de estratégias diferentes. Enquanto Trevo é enfático na revelação de que novos trabalhos irão sair em breve, Senpai diz que já tem bala na agulha, mas ainda não sabe como atacar. "Estou numa fase de indecisão, de como invado a cena, de como inicio. Tenho muito trampo solo que não sei quando vou soltar, mas já ta tudo no pente", fala Darlan.


© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados