2016: ano de confusão e crescimento no cenário nacional


2016 foi um ano confuso. Na política houve muito mais polarização, seguindo a tendência turbulenta dos últimos anos. Houve diversas tragédias a nível nacional internacional, além de um cenário instável que fragilizou as relações diplomáticas entre algumas nações.

No meio de tanto motivo de preocupação, rolou um motivo para celebrar: a música independente floresceu em 2016, e o rap foi um dos gêneros que mais se movimentou, especialmente na segunda metade do ano.


A música "Sulicidio" foi uma bomba de efeito moral que sacudiu a cena, desestabilizando quem se sentia confortável e dando espaço para novos nomes despontarem. Em seguida, o fenômeno dos cyphers uniu artistas que em outros contextos não fariam músicas juntos, além de incentivar outras parcerias musicais entre estados do Brasil. O ano foi intenso a ponto de vários artistas guardarem seus lançamentos para a última semana, fechando com chave de ouro um ciclo que deu nova vida à cena.


Um dos elementos novos que ajudou a moldar o estado atual do rap nacional foi a influência de produtores de conteúdo para o YouTube, como Falatuzetrê, Dukrl, Mascarenhas, Lívia Cruz, e este que vos escreve. O público se viu incentivado a encarar as canções com outros olhos, refletindo com mais cuidado sobre o conteúdo lirico e musical.

Há quem diga que parte das pessoas se resignou a esperar a manifestação destes Youtubers para formar sua própria opinião, mas prefiro acreditar que nosso público tem visão o suficiente para formar sua própria opinião, e assiste os vídeos simplesmente por entretenimento, vontade de aprender algo a mais, ou simplesmente ver a opinião de alguém que admira por curiosidade.

2017 começa sob a luz de um cenário musical chacoalhado, onde as peças ainda devem se encaixar. O ritmo de lançamentos continuou frenético, com artistas como Diomedes Chinaski soltando dois singles em menos de uma semana. O que podemos esperar? A lenta reversão do cenário ao que era antes de Sulicidio? A formação de um novo rio de artistas em evidência? Uma difusão ainda maior de evidência, com a ajuda dá divulgação dos Youtubers?

Não sabemos. Mas independente da resposta, os artistas sabem que devem caprichar nos seus trampos para permanecerem em evidência. E quem ganha é o público!

#RaíFaustino

© 2018 - RapZeroSeteUm - Todos os direitos reservados